domingo, 19 de fevereiro de 2017

FAZES-ME FALTA

Erica Hopper 

( ...)

" Eu só queria  ver de que material era feito 
o teu amor por mim .
 Precisava de escangalhar o teu coração 
para o fazer  encaixar no meu .
E agora tenho que o desencaixar 
outra vez  para sair deste limbo .
Mas não sei como .
Sem o teu coração não consigo amar -
não me abandones outra vez .
Logo eu , que amava o mundo inteiro,
não é ?
 Amar  em abstrato é muito mais
ágil  do que amar em concreto ."

Inês Pedrosa 
in , " Fazes-me falta "

Som  na  caixa ...
 


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

MÚSICA DE HOJE : RECONVEXO


Reconvexo , é o título da composição feita
por Caetano Veloso , famosa na voz de sua
irmã , Maria Bethânia, escrita especialmente
para ela interpretar .
A música é um grito de construção identitária 
e percorre o mundo da Bahia , fazendo 
referências  também à cultura internacional .
O gingado e o ritmo bem marcado da
composição  nos contagia .

Letra da música :

" Eu sou a chuva   que lança a areia do Saara 
Sobre os automóveis de Roma 
Eu sou a sereia que dança , a destemida Iara 
Água e folha da Amazônia  

Eu sou a  sombra da voz da matriarca da Roma Negra 
Você não me pega , você nem chega a me ver 
Meu som te cega , careta quem é você ?
Quem não sentiu o suingue de Henri Salvador 
Quem não seguiu o Olodum balançando o Pelô 
E quem não riu com a risada de Andy Warhol
Que não , que não ,  e nem  disse que não    

Eu sou o preto norte americano forte 
Com um brinco de ouro na orelha 
Eu sou a flor da primeira música a mais velha 
Mais nova espada e seu corte 

Eu sou o cheiro dos livros desesperados ,
 sou Gita Gogoya 
Seu olho me olha , mas não me pode alcançar 
Não tenho escolha , careta , vou descartar 
Quem não rezou a novena de Dona Canô 
Quem não seguiu o mendigo Joãozinho Beija-Flor 
Quem não amou a elegância sutil de Bobô 
Quem não é recôncavo  e não pode ser reconvexo . "

Caetano Veloso 


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

FEVEREIRO CHEGOU ...

Leonid  Afremov 

" Estão em mim as estações 
 como se fossem uma só 
as quatro sempre estão em mim 
são quatro faixas de um abismo
da aurora  até o ocaso 
a chuva  o verde  o sol o vento 
sem me desvelar estão em mim
são a missão recém nascida 
e são os mortos do meu mundo 
minhas ocultas estações 
me fazem feliz /  sofrem por mim 
cada uma delas tem um céu
e cada céu é um espelho 
que fala de todos e de mim 
as estações se congregam 
se reconhecem e se abraçam
as quatro  sempre estão em mim 
sou seu fervor suas folhas mortas 
seu granizo  suas colheitas 
sua porta aberta seus cadeados
sua insolação seus aguaceiros 
como um destino estão em mim
as estações se embaralham
para se mesclar com minha vida 
para se juntar com minha morte 
e então fugir de mim ."

Mario Benedetti  
no poema , " As Estações "

Som  na   caixa ...




quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

POEMA DE HOJE ...

Steven  Graber 

" As  palavras começam a ficar velhas ; tem
dores nas articulações e rangem ,  de vez 
em quando , sem razão ; reclamam  óleos   
e resinas , tempo e açúcares mais lentos .

Mas também estou velha demais  para 
oficinas  , tão cansada de livros e papéis ,
morta  por viver outras coisas - por amor ,

talvez  espreitasse de novo nas mangas do
mundo e escrevesse uma fiada de búzios 
no pulso da areia . Mas quantos dos teus
beijos perderia ? Perdoem-me os  que

ainda esperam por mim . Não sei se volto . "

Maria do Rosário Pedreira 

Som  na  caixa ...




sábado, 7 de janeiro de 2017

MÚSICA DE HOJE ...

MAIOR 
Dani Blak
( participação de Milton Nascimento )

 " Eu sou maior do que era antes 
Estou melhor do que era ontem
Eu sou filho do mistério  e do silêncio
Somente o tempo vai me revelar quem sou 
( bis )

As cores  mudam 
As mudas crescem
Quando se desnudam
Quando não se esquecem 

Daquelas dores que deixamos para trás
Sem saber que aquele choro valia ouro
Estamos existindo entre mistérios
e silêncios 
Evoluindo a cada lua , a cada sol 

Se era certo ou se errei
Se sou súdito , se sou rei
Somente atento à voz do tempo  saberei . "

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

NATAL EXISTENCIAL

Robert  Hefferan

Estamos a cinco dias da festa máxima da cristandade 
e gostaria de partilhar com vocês , 
amigos queridos , alguns versos   de 
um poema de Artur da Távola .
Também , lhes desejar um Abençoado Natal .
Que , em 2017 estejamos juntos 
 com muita saúde , paz e  alegrias .

Beijos e Abraços 


" Que o seu Natal seja a certeza de que a vida 
é apenas descoberta , aventura , invenção e mistério .

Que seja Natal em você  ainda quando  lá fora 
imperem  o escárnio e a injustiça .
Nascendo natais em você ,
 melhor enfrentará a luta
 por construir o mundo com justiça e amplidão .

( ...)

Serás o Natal se fores  presente ,
embrulho , dádiva ,
 oferta,surpresa , 
entrega ou adivinhação .

( ...)

Ser Natal  é ascender as próprias luzes 
sem brilho e ouvir , no silêncio ,
a voz do mistério a proclamar  a verdade , 
numa linguagem oculta ,
 com a qual se consiga alcançar
  sem saber 
 e perceber sem conhecer .

Ser Natal é pular o muro ou entrar
pela chaminé para dentro de si e lá
encontrar a mesma criança com as
enormes barbas brancas  de sabedoria 
milenar da espécie .

Ser  Natal é descobrir que Natal é SER . "

Artur da Távola

 O Som na caixa é o mesmo
todos os finais de ano .
















segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

FERREIRA GULLAR

Ferreira  Gullar 

Minha última publicação sobre o escritor , poeta ,
 crítico de arte , biógrafo , tradutor , memorialista  e
ensaísta  brasileiro , Ferreira Gullar ,  foi  em outubro 
de 2014 , quando a  Academia Brasileira de Letras   o 
anunciou  como  ocupante da cadeira 37 .
Hoje , o post é em sua memória , eis que nos deixou
no dia de ontem , 04 de dezembro de 2016 , aos
86 anos .  

Partilho com vocês poema que muito gosto , 
postado em 2010 .

TRADUZIR-SE 

" Uma  parte de mim 
é todo mundo :
outra parte  é ninguém :
fundo sem fundo .

Uma parte de mim
 é  multidão :
outra parte estranheza
e solidão .

Uma parte de mim 
pesa , pondera :
outra parte
delira .

Uma parte de mim
almoça e janta :
outra parte 
se espanta . 

Uma parte de mim 
é permanente :
outra parte 
se sabe de repente .

Uma parte de mim
é só vertigem :
outra parte ,
linguagem .

Traduzir uma parte
na outra parte 
- que é uma questão 
de vida ou morte -
será  arte ? "

Som  na  caixa ... 
Ferreira Gullar foi autor
da versão brasileira  da canção
" Borbulhas de Amor "